Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
Página Inicial / JMJ Agora
clipe-oficial-hino-jmj-2013
 
 
 


Segurança dos peregrinos tem atenção especial na Jornada

Forças de segurança do Brasil têm tarefas definidas no evento

Fonte: JMJ
25/06/2013

Segurança é prioridade na JMJ

A organização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013 está cada vez mais atenta à segurança dos peregrinos e da população em geral nos dias que envolvem a realização do evento. Um protocolo de segurança já foi criado para dividir as tarefas entre as forças de segurança. A Polícia Militar e a Guarda Municipal têm um papel mais próximo dos peregrinos.

O controle de abertura e fechamento de vias, segurança de pontos turísticos e passagem de grupos estará sob a responsabilidade da Polícia Militar. Ou seja, cabe ao órgão a estruturação do policiamento urbano, contando sempre com reforço de efetivo.

Da parte da Guarda Municipal, haverá dez módulos operacionais com prioridade para pontos turísticos e patrulhamento constante nos acessos ao metrô e estações de trem. Serão mais de 200 agentes divididos por esses módulos, com aumento da ronda escolar para zelo das escolas municipais (625 escolas) e para os eventos serão aproximadamente 1300 agentes com prioridade para Copacabana. O exército também discutiu um acordo operacional de segurança para a JMJ Rio2013.


Protocolo de atividades



As demais forças policiais serão envolvidas de acordo com um protocolo de atividades, um manual que não permite improviso durante o evento, e protocolos de reação. Trata-se de um passo a passo bem detalhado, com mais de 50 mil ações descritas. O protocolo faz parte do planejamento da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge) do Ministério da Justiça, que juntamente com o Ministério da Defesa coordenam a segurança.
O planejamento detalhado para a segurança do evento foi elogiado pelo general Domenico Giani, comandante da Gendarmeria (Polícia do Vaticano). “Creio que não se terá nenhum problema de segurança nem com o Papa nem com as pessoas que lá estarão porque estamos estudando tudo nos mínimos detalhes, com todas as particularidades”, garantiu.


Presidente do Comitê da JMJ fala sobre manifestações


O arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ Rio2013, Dom Orani Tempesta, falou nesta quarta-feira, dia 19, sobre as manifestações populares que aconteceram no Rio de Janeiro e em diversas capitais brasileiras nos últimos dias.

Dom Orani afirmou que, de acordo com conversas entre ele e algumas autoridades públicas, os protestos não afetam a plena realização da Jornada. Segundo ele, “a questão da Jornada é muito bem vista por todos”.
Para o arcebispo, o desejo de construir uma civilização melhor que esses jovens estão levando às ruas “está dentro do espírito da Jornada, da união por um mundo novo, por uma vida nova, uma nova sociedade. O jovem católico também tem esses anseios e sonhos, porém, com Cristo no coração”.

“A Jornada é um evento positivo, com a juventude. Uma juventude que tem valores; valores cristãos, valores que também querem mudar o mundo com um coração de justiça e de paz, e que podem dar um olhar diferente para essas reivindicações aqui no Brasil”, reforça Dom Orani.

Os protestos iniciaram há algumas semanas por pequenos grupos contra o reajuste do valor da passagem no transporte público, mas ganharam grande apoio popular nos últimos dias. A massa que se juntou aos grupos viu nos atos públicos uma oportunidade para manifestar insatisfação também com os problemas sociais e a corrupção. Os protestos geralmente são pacíficos, apesar da ação de pequenos grupos extremistas que não têm o apoio da maior parte dos manifestantes. Os governos das cidades afetadas já estão tomando providências no diálogo e acordo com os manifestantes.

 

 

 
Página Inicial